Injecções Intra-Vitreas



Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMI)

A degeneresceência macular relacionada com a idade e o seu tratamento com injecções intra-vítreas de anti-angiogénicos.

 

A Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMI), na sua forma mais grave, a exsudativa ou húmida, caracteriza-se pelo crescimento vasos sanguíneos anormais atrás da retina também chamados membrana neovascular coroideia ou neovasos coroideus que provocam o aparecimento, na retina, de edema e hemorragia. Sem tratamento a grande maioria dos pacientes desenvolve uma cicatriz no centro da mácula e fica com grave perda de visão. As pessoas afectadas nos dois olhos não conseguem ler, costurar ou conduzir e têm enormes dificuldades nas suas actividades diárias. Sentem-se altamente limitadas para realizar tarefas tão rotineiras como ver as horas ou marcar um número de telefone. Calcula-se que em Portugal surgem cada ano cerca de 2500 a 3000 novos casos desta doença.

 

A fotocoagulação laser é muito raramente utilizada e trata menos de 5%  das pessoas afectadas.

 

Dada a gravidade da doença e o seu mau prognóstico têm sido tentadas novas formas de tratamento ao longo dos últimos anos. A radioterapia, o Interferon alfa e a remoção cirúrgica dos neovasos foram algumas das terapêuticas tentadas. Contudo, não foi provado qualquer benefício destes tratamentos através de estudos multicêntricos, randomizados e duplamente ocultos.

 

Um outro tratamento que pode ser utilizado em alguns casos de degenescência macular relacionada com a idade é a terapia fotodinâmica com Verteprofina. Este tratamento foi considerado como o mais eficaz até 2007. No entanto com o aparecimento dos anti-angiogénicos na prática clínica, por nomeadamente com o aparecimento das injeções intravitreas de anti-VEGF (Ranibizumab, Aflibercept), a terapia fotodinâmica com Verteporfina passou a ser usada apenas em casos muito específicos. Eficácia das destas injecções intra-vitreas de mostrou ser muito superior à da terapia fotodinâmica. Consegue manter  ou melhorar a visão com que se inicia o tratamento em mais de 70% dos casos e em mais de um terço das pessoas tratadas a visão pode melhorar para o dobro da inicial.

© 2018 Rufino Silva - Clínica Oftalmológica
by INOVAnet